imageH07Eu amo meu pai! Ele é a pessoa que me aconselha quando eu preciso. Que me acompanha às visitas de família. É o homem que incentivou quando descobriu que a filha queria ser bruxa. Também foi o maior apoiador da minha decisão, aos 12 anos de idade, de aprender a ler tarot. Meu pai foi a pessoa que sempre esteve por trás desse meu caminho… Indiretamente até 2004, quando eu passei uma iniciação de família. Ser strega, às vezes, está no RG, hehehe…

O que eu gosto muito nessa história é que ela não se trata das mais convencionais. Geralmente quando pensamos em Bruxaria, Bruxaria de família ou Bruxaria Italiana, pensamos nas ‘nonnas’ ou nas matriarcas ou ainda nos conselhos de mulheres de uma famiglia passando segredos, tradições, receitas. Aqui foi diferente. Somos uma família de linhagem masculina. E não digo isso só pela minha casa, mas pelas outras casas da família Morselli nas quais as meninas (ou pelo menos, algumas delas) são extremamente ligadas aos seus pais. Tão interessante quanto isso possa parecer ou ser ou não, meu pai também era um grude com o pai dele. 

Eu amo meu pai! Apollo é o deus que me inspira, que me traz a força que eu busco. Apollo é uma expressão divina que me agrada pela luz e pela força. Esse deus traz em si a inspiração da Arte, é o “líder” das nove Musas, as senhoras do Belo. Na verdade, eu penso em Apollo como o portador do Bom, Belo e Verdadeiro. Isso tudo faz parte de mim, luz, brancura, inspiração e Oráculo. Apollo também é o deus de Delfos, é aquele que traz as mensagens aos mortais. Esse aspecto do deus é aquele que chamo quando vou ajudar minhas amigas, meus parentes ou pessoas, é a energia que roda em meus baralhos de tarot. Eu me sinto uma Síbila nesse momento, uma verdadeira sacerdotisa de Apollo.

E aqui eu vejo as coisas se encontrarem. Já me perguntaram mais de uma vez, “com qual deusa você se identifica?”, e a resposta sempre demorava a chegar, mas se pensarmos em termos de divino, Apollo vem à mente imediatamente.

O que me faz pensar em relações que estabelecemos com esse divino. Será que ser bruxa nos liga exatamente ou especificamente às deusas e suas formas? O tempo e a minha experiência me fazem dizer que não. Claro que a inspiração e a energia feminina estão presentes e sem ela, acredito que a Criação não se completaria. Porém, eu a vejo dentro de mim… Eu, Pietra, mulher, sou uma manifestação do Divino Feminino. Sendo assim, acredito que isso me liga de forma íntima ao Divino Masculino e isso eu encontro: na energia e na força dos meus ancestrais homens (pai, avô, tio-avô) e numa divindade Masculina.

Como libriana, eu busco equilíbrio. Meu equilíbrio está em ser mulher e viver isso. Como eu já coloquei uma vez no texto de Bruxas Hello Kitty, ser mulher é viver alma feminina… Aliás, recordando um antigo programa de televisão, Confissões de Adolescente, uma frase de um dos episódios me vem a mente: “o melhor presente que uma mulher pode dar a um homem é cultivar a feminilidade de sua alma”. Isso me tocou… Aceito isso e vivo isso. Procurar e cultivar a plenitude daquilo que somos.

Por fim, me incomodo quando vejo o divino masculino deixado de lado. Sem dúvida, que cada praticante tem de procurar o melhor jeito de se religar ao Divino, mas sinto em alguns momentos que fica um revanchismo contra o masculino. Sem dúvida, nossa sociedade, de uma forma geral, busca um deus que pode ser extremamente punitivo e proibidor. Porém penso que esse é apenas um arquétipo – tudo bem que nos sufocou bastante, mas nos faz acreditar que toda a essência masculina é ruim? Opressora? Vingativa? Penso que no fundo, isso tudo faz parte inclusive da nossa alma. Isso me perturba como me incomoda o fato de muitas mulheres dizerem: “homem nenhum presta!”. Bobagem! Pessoas são pessoas… Pessoas de boas ações, pessoas de péssimas condutas. Deuses têm esse aspecto neles também. É o exato reflexo da Natureza: chuva é ruim? Quando mata a sede, não… Mas quando traz enchente…

Deusa-Mãe, Virgem ou Anciã… a grande Lua no céu nos iluminando e trazendo as mudanças na vida. Independentemente de sermos homens ou mulheres, nós, bruxos, sabemos que Ela faz toda a diferença em nossas caminhadas. No entanto, Ele também está lá… é o Sol, nutridor e doador de luz… São tão importantes que nos acompanham tanto de dia, como de noite.

Não sou uma strega da nonna, nem de uma Diosa… Sou uma strega que mora numa casa com a mãe, a irmã, duas gatas e um pai. Acho que minha ligação com ele tem a sua contra-partida física aqui em casa. Aliás, me arrisco a dizer que meus pais não teriam filhos homens… é apenas uma impressão, mas acho que meu pai é um homem de muitas mulheres =) E assim, convivemos em harmonia neste recinto sagrado!

Mulheres sejam plenas! Homens sejam plenos… Se dêem um belo presente… Cultivem a energia que existe em seu ser… Essa é a sua essência, e ela é divina!

imageSBOPietra, a síbila filhinha do papai!
filipeta
.
Clicke na pirâmide para saber maisbarraPRATEADA