image7QHNesses 10 anos de estudo de Bruxaria e espiritualidade, eu já me deparei com muias coisas interessantes. Conheci pessoas muito legais, gente com muita coisa para ensinar. Vi práticas maravilhosas que eu mesma tive chance de participar. Também soube de coisa com as quais eu não concordei, mas afinal, tempo é tudo para destruir e construir opiniões. Porém é certo que na vida, tudo precisa ser “viva e deixe viver”.

Bem, eu estou mesmo num clima de retrospectiva essas últimas semanas. Esse ano faz 10 anos que esse mundo mágicko se descortinou para mim! Então, resolvi dividir algumas experiências curiosas que eu tive. Foram momentos que eu soube que estava entrando em contato comigo mesma.

Logo que eu comecei a estudar, aconteceu a primeira coisa curiosa. Eu tinha 15 para 16 anos e a vida era muito light: amigas, cinema, escola, um emprego de 2 vezes por semana, fazer inglês e fazer rituais e meditações na medida do possível. 

Foi então que um dia, uma amiga me convidou para uma festa na casa de uns meninos que eu não conhecia. Lá na tal festa, eu conheci um moço deveras interessante e fiquei imaginando o quão legal ia ser dar uns beijos naquele cabeludo. Foi quando ele veio conversar comigo… tudo que passava na minha cabeça era: “olha bem nos olhos dele, mostra para ele como você é bonita”. E isso se repassou muitas e muitas vezes na minha cabeça enquanto eu olhava para o moço. E não é que ele solta, “Poxa, você é mesmo muito bonita”. YES! Deu certo. Eu vi o cujo mais umas duas vezes, mas a reação não foi a mesma e eu acabei por desencanar. O que é tão legal em relação a isso? Em 2000 quando eu trouxe o livro do Grimassi para o Brasil, eu li um lance de jettatura e quase morri enfartada! Jettatura ou gettatura é uma magia que se faz com os olhos, uma magia sútil, que o Grimassi chama de “magia vaporosa”, na qual você passa um encanto para uma outra pessoa pelos olhos. Pode dar em mal olhado, pode dar em cura… deu nuns beijinhos. Pode até ser que tenha sido meio manipulativo. Mas, o tão legal foi que eu sabia o que fazer, mesmo sem saber o que era =)

Já há uns 2 anos atrás, eu me vi numa situação muito complicada em relação à ex-mulher do meu namorido.

Agora em junho de 2006, conversando com a amiga Crocodilo Negro, descobri que nossas famílias tinham práticas parecidas para parar o granizo de cair.

Quando vemos, ouvimos, lemos ou sabemos que coisas que fazemos sem razão aparente têm um eco em alguma prática ancestral é de arrepiar, literalmente!

É nessas horas que eu tenho certeza do carinho e da dedicação dos meus ancestrais, de que eles nos indicam um caminho e que desejam que possamos ir além nesse plano. Isso me entusiasma mais a incentivar o contato com os Antigos de forma a procurar quem somos e assim , o que precisamos fazer e ser… as dicas são ancestrais… são sabedoria popular ricas e à disposição de quem se dignar a ouvir!

Você já se encontrou nas experiências de outros? Sentiu um arrepio na espinha? Posso garantir que é uma delícia!

Pietra di Chiaro LunaEste texto é a introdução ao livro 
Stregheria – Vecchia Religione da Itália
Para ter acesso a conteudo completo
entre em contato com a Pietra.

filipeta
.
Clicke na pirâmide para saber maisbarraPRATEADA