astrologia
Assim como a atual e moderna Física Quântica, considero a Astrologia como sendo a “Ciência das Possibilidades”. No dia de seu nascimento, no local e na hora, os astros estavam dispostos de determinada maneira no céu. Havia uma conformação planetária e estelar.

Somos seres habitantes de um planeta que é regulado por uma estrela chamada Sol, de quinta grandeza. Essa estrela pertence a uma das bilhões de galáxias que existem, chamada Via Láctea. Por sua vez, esta galáxia está inserida num Universo em constante expansão. 

Se pensarmos com realidade, somos um ponto pálido de areia numa praia imensa.

O que nos fez tão pequenos? O que nos faz tão grandes?

Somos mais que um ponto perdido. 

Temos um corpo, máquina perfeita. 

Temos uma inteligência com capacidade maior do que qualquer computador que conhecemos, aliás, essa inteligência criou e possibilitou a existência deles. 

Temos uma consciência que nos permite perceber a incrível possibilidade que está em nossas mãos de criação ou destruição. 

Temos uma individualidade a qual dou o nome de Alma e finalmente…

Temos uma essência que chamo de Espírito, a centelha divina.

Toda essa matéria física, humana e espiritual está em nós e é afetada, como parte desse todo, por tudo o que acontece neste Universo. 

Da mesma maneira, nós também estamos afetando e modificando esse Universo ao qual pertencemos.

Seria um absurdo enorme dizer que a posição dos astros, no momento de seu nascimento, determina toda a trajetória de sua vida.

Da mesma maneira que seria uma pretensão, muito grande, dizer que nós determinamos as leis que regem o Universo.

 

A fotografia do céu no momento de seu nascimento não determina os fatos de sua vida, ela apresenta as possibilidades que irão facilitar ou dificultar seu caminhar, ela conta para você quais pontos são frágeis e quais são mais robustos no tempo e espaço que ocupa e em sua conformação física, emocional e até espiritual.

Da mesma maneira que seu nascimento em determinado espaço geográfico possibilita o aparecimento de certas características, mas não os determina, assim como: língua utilizada, padrões físicos, sociais, religião a ser seguida; você pode nascer sob um determinado signo, sob determinada configuração que isto irá nortear e ditar possibilidades, mas não determinar seu caráter ou ação nesta experiência de vida. Por exemplo, digamos que você tenha nascido na França e tenha sido levado com seis meses para a Espanha. Daí em diante você terá sido criado em outro país.  Possivelmente sua língua principal será o espanhol, embora em seu passaporte conste que você é Francês e você possua vários hábitos pertencentes a esse povo. 

Da mesma maneira, digamos que você tenha nascido sob o signo de Áries, mas tenha sido criado em uma família altamente castradora. Possivelmente você tenha uma natureza interna ativa e dinâmica mas, pelas circunstâncias e necessidades da educação recebida, você apresente um comportamento quieto e circunspecto.

Com estes exemplos, estou querendo mostrar que a Astrologia é fantástica como ferramenta de aprendizado, magnífica para quando for utilizada no sentido de estudar as possibilidades e dificuldades individuais do momento e do meio em que está é perfeita quando utilizada para um conhecimento maior das características particulares, compreensão e crescimento. Mas, utilizar a Astrologia como previsão determinista, não é correto nem adequado.

Conhecer quais são as facilidades e dificuldades, nosso movimento neste planeta poderá ser mais tranqüilo. Poderemos fazer melhores escolhas e encontrar caminhos mais adequados. 

Porém, se toda nossa vida estivesse pré-determinada pelos astros, onde estaria nosso livre arbítrio? E a nossa experiência? Nosso aprendizado e nosso crescimento?

Reza a lenda que nossa vantagem sobre os anjos é que nós, humanos, podemos errar…

“O espírito do homem deriva das constelações; sua alma, dos planetas e seu corpo, dos elementos…” 
                                                                              insight de Paracelso em 1530

 

Texto Zelinda O. Hypolito
 com regressão de memória.
zelinda@imagick.org.br
filipeta
image3N4

Author

IMAGICK