A Fórmula do Santo Graal

Cantinho do Titio

549565_10152361562788146_1385634160_n

 ALEISTER CROWLEY

O Hieróglifo revelado na Sétima Chave do Tarot ( que se descreve no 12º 
Aethyr, Liber 418, O Equinox I, V ) é a Auriga de Nossa Senhora 
Babalon, que leva em sua mão o Cálice do Graal.

Está é uma formula importante. É num sentido a Primeira das Formulas, 
porque é a formula da RenunciaçãoO , ! Também é a ultima !

Este cálice se diz que esta cheio de sangue dos Santos; é dizer; todos 
os ” Santos ” devem dar até a ultima gota de seu sangue a este cálice? 
. É o preço original que se paga pelo poder magico, e se pelo poder 
magico queremos dizer o verdadeiro poder, a assimilação de toda força como 
a Luz Ultima, a verdadeira Noiva da Rosa Cruz, então esse sangue é a 
oferenda da Virgindade, o único sacrifício que agrada ao Mestre, o 
sacrifício que tem como única recompensa a dor do parto para ele.

Mas o ” vender a alma ao diabo “, o renunciar qualquer coisa para um 
desejo pessoal eqüivaleZ à magia negra. Neste caso já não é um nobre que 
o entrega todo, mas um simples vigarista.

Esta formula é algo distinto em simbolismo, já que o Cálice que se deve 
encher é de uma Mulher. É mais bem o sacrifício do Homem que transmite 
a vida a seus descendentes. Porque ema mulher não tem nela o princípio 
de nova vida, só temporalmente, quando se a dan. 
 
 

< ( Crowley acredita que Abracadabra era uma corrupção de Abrahadabra, 
o nome Gnóstico do Deus Secreto o Oculto, em O Livro da Lei, 
Abrahadabra é a palavra do Aeon em contraposição de Thelema, a palavra da Lei. As 
duas palavras somam igual aos dos números de Aiwass: Abrahadabra = 418; 
Aiwass = 418; Thelema = 93; Aiwass = 93. Quatrocentos e dezoito é 
também o número da Grande Obra, e o 93 é o número da corrente que a 
informa). 

O ( Aqui não existe uma implicação moral. Mas ao escolher A, implica 
repelir não – A; pelo menos é assim, abaixo do Abismo { ver apêndice II }).

? ( Crowley era tão devoto que se fazia chamar a si mesmo de San 
Aleister Crowley e sua autobiografia a chamou Autohagiografia. Dizendo em 
outras palavras, ele – o mago – se entrega pôr completo à devoção da 
Mulher Escarlate, tomando os Santos votos de obediência a ela. Ver The 
Magical Record of the Beast 666 ” O Diário Magico da Besta 666 “).

Z ( Suposto desejo pessoal. Em realidade não há pessoa que pode ganhar 
algo; em toda transação é uma burla pelas duas partes ).
 

Mas aqui, a formula implica muito mais que isto. Porque é toda sua vida 
que o Magus oferece a Nossa Senhora. A Cruz é as vezes a Morte e o 
Gênesis, e é sobre esta Cruz que a Rosa floresce. O significado completo 
destes símbolos tão elevados que não seria correto aclararmos em um 
tratado elemental deste tipo. Se deve ser Adepto Exempto e estar preparado 
para seguir adiante, antes de poder ver estes símbolos, embora do plano 
menor. Só um Mestre do Templo compreende pôr completo seu significado.

( De todas as formas, o leitor pode estudar Liber CLVI em O Equinox I, 
VI; o 2º e 12º Aethyr em Liber 418 no Equinócio I, V, e o simbolismo do 
Vº, VIº na O . T. O. ? ).

Da preservação deste sangue que Nossa Senhora oferece ao Ancião, Caos? 
, o Pai – de – Tudo, para rever-lhe, e como sua Divina Essência Cheia 
na Filha ( A Alma do Homem ) e põe sobre o Trono da Mãe, cumprindo a 
Economia do Universo, e ao final recompensando o Mago ( O Filho ) dez mil 
vezes, não podemos falar aqui. Um Mistério tão Sagrado é o Arcano do 
Mestre do Templo. O motivo porque se esta indicando aqui é para cegar ao 
presunçoso, que não seja digno de levantar o véu, e a vez iluminar a 
obscuridade daqueles que só necessitam em raio de sol para saltar à vida 
e a luz.

II
Abrahadabra é uma palavra que se deve estudar em O Equinócio I, V, ” O 
Templo do Rei Salomão “. Representa a Grande Obra completa, e é um 
arquétipo das operações magicas menores. É, pôr dizê-lo de alguma forma, 
demasiada perfeita para ser aplicada antes que todas as demais. Porém um 
exemplo de um operação deste tipo pode ser estudada em O Equinócio I, 
VII, ” O Templo do Rei Salomão “, donde se encontra uma invocação 
completa de Horus, baseada, claro esta, sobre esta formula. Se deve tomar 
nota da reverberação das idéias e compara-las. A formula de Horus embora 
não se tenha trabalhado em pormenor para justificar um tratado sobre sua 
Teoria e Pratica exotérica; mas aqui se pode dizer que é para a Formula 
de Osiris o que a turbina é para uma bomba de água.

? ( Existem 11 degraus na O . T . O .. Na O . T . O . original que 
Crowley tomou o comando de Reuss, os seis primeiros degraus estão moldados 
sobre as linhas Maçônicas, o quinto e o sexto em particular estavam 
baseados no simbolismo do sangue. Desde o sétimo degrau em diante 
constituía o Santuário Soberano da Gnoses. Suas instruções são secretas*).
 

a.. Mas se pode dizer que a base destas instruções se forma em redor 
de praticas da Magia Sexual ( Tantrica ). Isto se revela segundo o nome 
da Ordem: ” Ordem Tantrica Ocidental “.

? ( Caos, é o nome geral para a totalidade das unidades de Existências; 
assim que é um nome com forma feminina. Cada unidade de Caos é em si 
Pai – de – Tudo). 
 
 

III
Existem muitas outras palavras sagradas que ocultam nestas formulas de 
grande eficácia em operações particulares.

Pôr exemplo V. T . R . I . O . L .’ é um certo regime dos Planetas que 
são úteis para trabalhos Alquímicos. Ararita ‘ é uma formula do 
Macrocosmo em certas operações avançadas da Magia da Luz mais Interna ( ver 
Liber 812 ).

A Formula de Thelema se pode resumir da seguinte maneira: q ” Babalon e 
a Besta unidos ” – e a Nuith ( CCXX, I, 61 )” – l o Trabalho terminado 
em Justiça – h o Santo Graal – m A Água nela – a O Infante no Ovo 
( Harpocrates sobre o Loto ).

A formula de Ágape é a seguinte:

Dioniso ( A maiúscula ) – A Terra Virgem g – O Infante no Ovo ( a 
minúscula a imagem do Pai ) – O Massacre dos Inocentes, p ( Prensa de Vinho ) – O Brebaje do Êxtase, h .

O aluno encontrará muito proveitoso buscar e aclarar estas idéias 
minuciosamente, e desenrolar a técnica de sua aplicação.

Também há os Nomes Gnosticos das Sete Vogais, que são uma formula 
musical muito eficaz nas evocações da Alma da Natureza. Também esta ABRAXAS; 
e XNOUBIS; e MEYTHRAS” , e também se pode afirmar aqui brevemente que 
cada nome verdadeiro de Deus contém a formula desse Deus. .

Seria pelo tanto impossível, embora se fosse desejado, analisar todos 
estes nomes. O método de faze-lo já se tem explicado anteriormente, e o 
Mago se deve encontrar sua própria formula para qualquer caso 
particular? .
 
 
 

‘ ( Visita Interiora Terrae, Rectificando Invenies Occultum Lapidem. 
Visita a parte interna da Terra; pôr Retificação encontrarás a pedra 
oculta ).

‘ ( Um nome de Deus ).

” ( O Livro da Lei: ” Porém o amar-me é melhor que todas as coisas; se 
sob as estrelas da noite no deserto, tu presentemente queimas meu 
incenso diante de me, invocando-me com coração puro, e chama Serpentina ali 
contida, tu verás deitar-te em meu seio um bocadinho. Pôr um beijo tu 
então quererás dar tudo; mas quem quer que dê uma partícula de pó 
perderá tudo naquela hora. Vós ajuntareis mercadorias e quantidades de 
mulheres e espécies; vós usareis ricas jóias; vós excedereis as nações da 
terra em esplendor & orgulho; mas sempre no amor de me, e assim vivereis à 
minha alegria. Eu te amo! Eu te desejo! Pálido ou purpura, e 
embriagues, do senso do mais intimo, te desejo. Põe as asas, e acorda o esplendor 
enroscado dentro de ti: vem a me!” )+.

+ Este mandamento ( AL I – 61 ) é um chamamento ao homem para que 
pratiques os ritos de Kundalini.

” ( Abraxas, que algumas vezes se escreve Abraxax , é uma corrupção de 
Abracadabra. Xnoubis, que normalmente se escreve Chnubis, é uma 
divindade Gnostica. E Meithras é, pôr suposto, Mitras ).

. ( Os membros do IVº degrau da O . T . O . conhecem, perfeitamente a 
Palavra Magica, que se é analisada, contém toda a Verdade, humana e 
Divina, uma palavra realmente potente para qualquer grupo que se atreva a 
utiliza-la ).

Seria pelo tanto impossível, embora se fosse desejado, analisar todos 
estes nomes. O método de faze-lo já se tem explicado anteriormente, e o 
Mago se deve encontrar sua própria formula para qualquer caso 
particular S .

IV
Também se deve indicar aqui que cada degrau tem sua formula magica 
particular. Assim, a formula de Abrahadabra nos diz respeito a nós como 
homens, principalmente porque cada um de nos representamos o pentagrama o 
microcosmo; e nosso equilíbrio deve ser com o hexagrama o macrocosmo? . 
Em outras palavras, 5° = 6 o é a formula da operação Solar; porém então 
6° = 5 n é a formula da operação de Marte, e esta inversão das figuras 
implica um trabalho completamente distinto. Na primeira indicada, o 
problema radicava em dissolver o microcosmo no macrocosmo; e na segunda o 
problema esta em separar uma força em particular do macrocosmo, da 
maneira que um selvagem poderia extrair uma pedra para a fabricação de seu 
machado de um depósito de creta. De maneira semelhante, uma operação de 
Júpiter será da natureza de equilibrar-se com Vênus. Sua formula 
gráfica será 7° = 4 n , e fala numa palavra na que se descreve as 
características desta operação, da mesma maneira que Abrahadabra descreve a
operação da Grande Obra.

Se pode afirmar aqui, como um princípio generalizado, que quanto mais 
separados do equilíbrio se encontram os dois lados, mais difícil resulta 
executar a operação.

Pôr exemplo, tomando o caso de uma operação pessoal simbolizada pêlos 
degraus, resulta mais difícil ser um Neófito, 1° = 10n que o passar 
deste degrau a Zelator, 2° = 9 o .

Como se pode ver, a Iniciação se faz progressivamente mais fácil, em 
certo sentido, depois de que se tem tomado os primeiros passos. Porém ( 
especialmente após haver passado a Tipharet ) a distância entre degrau e 
degrau aumenta como pôr progressão geométrica com um fator muito 
elevado, que em si progride^ .

Como é evidente, resulta impossível detalhar todas estas formulas. 
Antes de iniciar qualquer operação, o Mago deve fazer uma analise 
meticulosa Qabalistica para captar sua teoria em simetria perfeita. O estar 
preparado na Magia é tão importante como na Guerra.
 

S ( A Santa Qabalah [ Ver Liber D em O Equinócio I, VIII, Suplemento, e 
Liber 777 ], é o meio mais eficaz para qualquer análise e aplicação 
requerida. Ver também O Equinócio I, V, ” O Templo do Rei Salomão ” ).

? ( A estrela de cinco pontas [ pentagrama ] é um símbolo do homem [ 
microcosmo ]; a estrela de seis pontas [ hexagrama ] representa a Deus ou 
O Espírito Universal { macrocosmos }. Pelo qual, 5° = 6 o é a formula 
da Grande Obra, a unificação do Deus com o homem. Comparar a estrela de 
onze pontas da A\ A\ ).

^ ( Se tem sugerido recentemente que a Hierarquia dos Degraus se 
deveria ” destruir e substitui-los pôr ” um sistema circular de treze degraus 
igualmente espaçados. Existe num sentido que cada degrau é uma Coisa – 
em – Si. Porém a Hierarquia é unicamente um método conveniente para a 
classificação de fatores observados. Neste ponto um se acorda da 
Democracia, que, ao ser informada pelo Ministério do Interior que a escassez 
de provisões se devia à Lei de Oferta e Demanda, passo uma resolução 
unanime para revogar fortuna Lei .

Cada pessoa, ostente o degrau que ostente dentro da Ordem, têm também 
um ” Degrau Natural ” apropriado a sua virtude intrínseca. O pode 
esperar o ser ” expulsado ” e metido naquele degrau quando se converte em 8° 
= 3o . É dizer, um homem, durante toda sua carreira, pode ser 
essencialmente do tipo de Netzach; outro pode ser de Hod. Da mesma maneira que 
Rembrant e Raphael conservarão seus pontos de vista em todas as etapas 
de sua arte. A consideração prática é que alguns aspirantes os pode 
resultar difícil alcançar o passar de certos degraus; o, pior embora, 
permitir sua predisposição inerente o influa a descuidar o antipático e 
dedicar-se pôr exclusividade aos tipos de trabalhos simpáticos. Desta 
maneira se pode desequilibrar-se mais do que nunca e com resultados 
desastrosos. O êxito na busca de algo favorito é uma tentação; o que se sujeita 
a seus caprichos limita seu próprio crescimento. É verdade que cada 
Vontade é parcial; porém, embora assim, unicamente pode desenrolar-se pôr
expansão simétrica. Deve ser ajustado ao Universo o fracassar na 
perfeição ). 

V
Seria proveitoso fazer um estudo detalhado da estranha palavra AUMGN, 
porque sua analise é uma excelente ilustração dos princípios sobre o 
qual o Praticus? pode construir suas próprias Palavras Sagradas.

Esta palavra tem sido pronunciada pelo MESTRE THERION, como meio de 
declarar seu próprio trabalho pessoal como a Besta, o Logos do Aeon. Para 
compreende-lo, devemos fazer uma consideração preliminar da palavra que 
substitui e da qual se desenrolou: a palavra AUM.

A palavra AUM é o mantra Hindu Sagrado que era o Hieróglifo supremo da 
Verdade, um compêndio do Conhecimento Sagrado. Se tem escrito muitos 
volumes sobre esta palavra Sagrada, porém para nossos propósitos bastara 
explicar como chegou a servir para representar os princípios 
filosóficos dos Rishis.

Primeiro representa o curso completo do som. Se pronuncia forçando o ar 
pela garganta com a boca completamente aberta, passando pela cavidade 
bucal com os lábios de tal forma como para modificar o som de O ou A ( 
ou U ), aos lábios cerrados quando converte em M. Simbolicamente este 
anuncia o curso da natureza que procede da criação livre e desprovida de 
forma, passando pela preservação controlada e com forma até alcançar o 
silêncio da destruição. Os três sons unidos se armonizam em um; e assim 
a palavra representa a Trindade Hindu de Brahma, Vishnu e Shiva, e a 
operação no Universo de sua Energia triunificada. É a formula de um 
Mavantara, o período de existência manifestada que se altera com uma 
Pralaya, durante a qual a criação é latente.

Analisando Qabalisticamente, a palavra possui propriedades similares. A 
é o negativo e também a unidade que concentra em forma positiva. A é o 
Espirito Santo que concebe a Deus encarnado sobre a Virgem, de acordo 
com as formulas conhecidas pêlos estudantes de O Ramo Dourado ( The 
Golden Bough ). A também é o ” Infante no Ovo. A qualidade de A é 
bissexual. É o ser original – Zeus Arrhenothelus, Baco Dphues, o Baphomet. 
 
 
 

? ( I trabalho particular do Praticus na A\ A\ { 3° = 8o } era o estudo 
da Qabalah ).

U ou V é o filho manifestado. Seu numero é 6. Se refere a dupla 
natureza do Logos como divina e humana; o entrelaçado do triângulo e o 
triângulo invertido no hexagrama. É o primeiro numero do Sol, e o ultimo? 666, 
” o numero do homem “.

A letra M exibe o termino deste processo. É o Enforcado do Tarot; a 
formação do indivíduo do absoluto se fecha com a morte.

Podemos observar como AUM é , nos dois sistemas, a expressão de um 
dogma que implica uma natureza catastrófica. Se unifica com a formula do 
Deus Sacrificado. A ” ressurreição ” e ” ascensão ” não estão implícitas 
aqui. São invenções mais recentes e carecem de base; e se os pode 
catalogar como fantasmas Freudianos conjurados pêlo medo a mirar à realidade 
cara a cara. Para o hindu, ainda são menos respeitadas. Desde seu ponto 
de vista, a existência é essencialmente objetiva. ; e seu trabalho 
principal é invocar a Shiva” para destruir a ilusão que é a maldição de 
Mavantaraf .

A revelação cardinal do Grande Aeon de Horus é que está formula AUM não 
representa os fatores da natureza. Este ponto de vista se baseia na 
inapreensão do caracter da existência. O Mestre Therion captou rapidamente 
que AUM era um hieróglifo inadequado. Unicamente afirmava em parte a 
Verdade, e implicava um fundamento falso. Em conseqüência, determinou 
modificar a palavra de tal forma que representa o Arcano desvelado pelo 
Aeon que ele havia conseguido ser o Logos.

O essencial era enfatizar o feito de que a natureza não é catastrófica, 
porém procede pelo meio de ondas. Se pode sugerir que Mavantara e 
Pralaya , são em realidade curvas complementares; porém a doutrina Hindu 
insiste em negar a continuidade das sucessivas faces. De todas as formas 
era necessário e importante não molestar o modelo Trinitário da palavra, 
como seria o caso ao anardile mais letras. Também era igualmente 
desejado fazer constar claramente que letra representa uma operação que não 
ocorre na natureza, mas que só como desplazamiento a mudança de fenômeno 
fazia o absoluto; o processo, também quando assim se compreende, não é 
uma verdadeira destruição, porém, ao contrário, é a emancipação de 
qualquer coisa das modificações que havia confundido como próprias. A ele 
se o acontecido que a verdadeira natureza do Silêncio era permitir a 
contínua vibração da energia ondulatória, livre dos conceitos ligados pelo 
Ahankara a faculdade do fazedor de Egos, que ao assumir a consciência
individual constituía existência chegou a conclusão de que seu caráter 
aparentemente catastrófico pertencia a ordem da natureza.
 
 
 

? ( O Sol é 6 um quadro de 6 * 6 contém 36 quadros. Colocamos os 
números de 1 à 36 sobre este quadro, de maneira que cada linha, coluna e 
diagonal somam o mesmo número. Este número é 111; e o total é 666 ).

. ( O s Thelemitas estão de acordo em que a existência manifestada 
implica a Imperfeição. Porém eles compreendem o porque a Perfeição cria 
está máscara. Está teoria se desenrola em sua totalidade em Liber Aleph ).

” ( A Teoria Vaishnava superficialmente se opõe a esta, porém ao 
analisa-la demonstra ser praticamente idêntica ).

f ( Mavantara, é o imenso ciclo de tempo no qual o universo existe na 
manifestação ).

, ( Pralaya, o grandioso ciclo de tempo no qual se afunda o universo, é 
dizer, em seu estado de simiente. Compara o dormir sem sonho { Pralaya 
} e sonhando e acordar-se { Mavantara }, porém isto, pôr suposto, é só 
uma analogia aproximada ).
 

A formula ondulatória de putrefação ? se representa na Qabalah pela 
letra N, que se refere a Escorpião, que combina sua natureza triunificada 
pela Águia, a Serpente e o Escorpião. Estes hieróglifos indicam as 
formulas espirituais da encarnação. Ele também estava ansioso de utilizar a 
letra G, outra formula triunificada que expressa os aspectos da lua, 
que declara a natureza da existência humana da seguinte maneira: A Lua é 
em si uma esfera oculta; porém uma aparição de luz se comunica pelo 
sol, e é exatamente desta maneira que sucessivas encarnações criam a 
aparência, da mesma maneira que a estrela individual, o que cada homem é, 
fica igual e sem trocar, sem importar-lhe se a terra o capta ou não.

Sucede que a raiz GN significa à vez conhecimento e geração combinada 
em uma só idéia, numa forma absoluta independente de personalidade. AG é 
uma letra silenciosa, como no caso da palavra Gnoses; e o som GN é 
nasal, sugerindo neste caso o ar da vida e não o da respiração.

Impulsionado pôr estas considerações, o Mestre Therion, propunha 
substituir a letra M de AUM pôr uma letra composta de MGN, simbolizando desta 
forma a sutil transformação do silêncio aparente e a morte é o fim da 
vida manifestada de Vau pôr uma vibração contínua de uma energia 
impessoal da natureza da geração e conhecimento. A Lua Virgem e a Serpente 
operando para incluir na idéia uma comemoração da lenda Hebraica tão 
deformada como a do Jardim do Éden, e até degenerando de forma mais maligna 
naquela escritura sectariana, Apocalipse.

Um bom trabalho invariavelmente se vindica ao dar corolários de 
confirmação que não tem sido previamente contemplados pelo Qabalista. No 
presente instante, o Mestre Therion, teve o prazer de anunciar que sua letra 
composta MGN, construída sobre princípios teóricos com idéia de 
incorporar o novo conhecimento do Aeon, tinha o valor de 93 ( M = 40, G = 3, N 
= 50 ). Noventa e três é o número da palavra da Lei – Thelema – Vontade 
e Agape – Amor, que indica a natureza da Vontade -. Também é o número 
da Palavra que triunfa sobre a morte, como sabem os membros do degrau 
M.M? da O . T . O ., e também é a formula da existência expressada com a 
Palavra Verdadeira do Neófito, no qual se toma a existência como a fase 
do Todo que é a resolução finita do zero Qabalistico.

Finalmente a numeração total da palavra AUMGN é 100 que, como se ensina 
aos iniciados do Santuário da Gnoses da O . T . O .; expressa a unidade
na forma da manifestação completa pelo simbolismo do número puro, sendo 
Kether pôr Aiq Bkr¶ ; também Malkuth multiplicado pôr si mesmo³ , 
estabelecendo o universo de fenômenos. Este número, 100, também indica 
misteriosamente a formula Magica do universo como um motor reverberatório 
para a extensão do Nada pôr meio do mecanismo de opostos equilibrados¶ . 
Kaf Peh = 100 ( 20 + 80 ). Kaf = c = Kt e i q : Peh = j = f a l l o ; ( 
pôr Notaricón )Ó . 

? ( Aqui Crowley fala do hieróglifo serpentino ” ondulatório ” de 
Escorpião. É a ” formula da putrefação ” porque Escorpião é o emblema da 
qualidade desintegradora da água; é um signo aquático. Também está 
conectado com as idéias da escuridão, corrupção e a morte. A letra N, à qual 
escorpião se atribui, é a letra da morte ).

? ( Mestre Mason { o 3º degrau da O . T . O . ).

¶ ( Um método de exegeses no que 1 = 10 = 100, 2 = 20 = 200, etc.).

³ ( 102 = 100 ).

Ó ( Kaf Peh = PK, Falo, Kteis, ou, os órgãos sexuais masculinos e 
femininos. O Notaricón é um método Qabalistico de exegeses, pelo qual a 
letra inicial de uma frase ( ou a letra inicial de uma palavra, como Falo 
ou Kteis ) revela o número chave.

Também é o valor da letra Qoph , que significa ” a nuca “, o cerebelo, 
donde está situada a força criativa ou reprodutora. A letra Qoph no 
Tarot é ” A Lua “, uma carta que sugere a ilusão, e também as forças 
parciais e opostas na obscuridade, e o Escaravelho alado, o Sol da 
Meia-noite em seu Navio fazendo seu percurso pelo Nadir. Sua atribuição 
Yetzirática é Peixes, símbolo das correntes positivas e negativas da corrente 
da energia fluídica, o Ichthus macho o ” Pesce ” e a Vesica feminina, 
buscando respectivamente o ânodo e o cátodo. O número 100 é então um 
hieróglifo sintético das energias sutis empregadas na criação da Ilusão, o 
reflexo da Realidade, que nós chamamos existência manifestada.

O anteriormente indicado são as considerações principais ma matéria 
AUMEGN. Deveriam ser suficientes para ilustrar ao estudante os métodos 
empregados na construção dos Hieróglifos na Magia, e armar-lhe com um 
mantra de um poder terrorífico pela virtude da qual pode compreender o 
universo e controlar nele suas consequências Karmicas. 
 

“A Fatalidade inerente ao Círculo de Abred decorre de três coisas que 
nela arrastam o Ser. São:
· Preguiça de esforços para o Conhecimento,
· Preguiça de esforços para o Bem,
· Preferência para o que é Mal, por Inércia.
Por esses três erros, o Homem se afunda no Círculo de Abred, nele se 
prende e corre o risco de recair no nada de Cytraul.”

Fonte: As Tríadas, n.23 

 

Ecclesiae Gnosticae Catholicae Canon Missae 
Liber XV 
Fonte: Biblioteca Alexandria Virtual
de criação de Jose Roberto Abrahão.

glittermagiadourados12

Textos escritos ou selecionados por: Zelinda Orlandi Hypolito
ze666Psicóloga clínica com especialidade em regressão de memória;
em PKZ – Psyckorszem – A Reconciliação entre os corpos físico/emocional/mental;
e terapia de DBITP (Dessensibilização Progressiva de Incidentes Traumáticos Primários).


Criadora do Workshop: Despertar da Bruxa.
Fundadora do Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick.
e Pontifex Solaris do IIE (Imagicklan – a Irmandade das Estrelas)
Vice-Presidente do Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick;
Coordenadora de todas as atividades da Cidade das Estrelas;
Criadora de todos os cursos regulares promovidos por esta entidade.
Telefones: (0xx) (11) 3031.3076 – Celular: (11) 962333.1777