Raul Seixas e a Música Mágicka

r5“Prefiro ser, essa metamorfose ambulante

Do que Ter aquela velha opinião formada sobre tudo…”

Cantarolava Raul Seixas, o flautista do Novo Aeon, em 1973. E a partir de então seu canto passou a encantar cada vez maiores multidões, em sucessivas gerações. Do primeiro ao último disco, foram 22 anos de um trabalho poderoso, capaz de modificar e influenciar profundamente o destino de milhões de pessoas ao longo dos anos 70, 80 e 90.

r3Foi influenciado por um desejo dele que Paulo Coelho se transformou em escritor (1). Foi também cantando suas músicas que a, juventude carapintada, destronou Fernando Collor, num gesto de dignidade político-social inédita, em países do terceiro mundo.

(1) Raul Seixas vivia, dizendo “eu queria ser escritor, feito Jorge Amado, vivendo dos meus livros, escrevendo o dia todo… Tomo eles tinham o hábito de ficar tentando provar que um era capaz de fazer o que o outro não conseguia, Paulo -que chamava isso de “inimizade íntima”se tornou, por birra, escritor.

Dizem até que Raul Seixas era, praticante de Magia Negra e que, como Lennon, havia feito um pacto com o diabo! (2)r4a

(2) Além do “Rock do Diabo”, em uma de suas músicas (Paranóia II) ele mesmo declarou. “Um pacto com Satã ainda quero tentar”. Alguns pastores protestantes vão mais longe e deduzem da letra de “Eu Nasci há 10.000 Anos Atrás” que, se Raul Seixas disse que “viu Cristo ser crucificado”, ele “só podia ser o diabo”…

Esta, é precisamente uma das perguntas que me intrigam até hoje:

“Até que ponto, ou em que circunstâncias, a obra de Raul Seixas deve ser, considerada um “trabalho de Magia” (3) ?

(3) Foram de grande repercussão em 1992 as declarações do escritor Paulo Coelho, dizendo que algumas músicas que ele havia feito em parceria com Raul Seixas nos anos 70 seriam parte de um trabalho de Magia Negra, do qual ele -Paulo Coelho- estava arrependido: finalmente ele “reencontrara Jesus” em 1985 e queria ajudar a salvar todas as pessoas que estavam no “caminho do pecado” e ouvindo Raul Seixas…

r1“Até que ponto poderiam ter razão as especulações que dizem que o seu aparentemente trágico destino pessoal seria, uma conseqüência dele lidar com poderosas “forças ocultas”?  

“Teriam razão os pessoas que dizem que ele teria se “arrependido” do trabalho que fez ?  

“Mereceriam algum crédito as afirmações de pessoas que aparecem com “mensagens do além” resultantes de “contatos telepáticos ” com ele ? …

Nada impede que conversemos sobre isso.

Vejamos:

O começo do trabalho

Em setembro de 1973, a Sociedade Alternativa foi fundada por Raul Seixas, Paulo Coelho, Adalgisa Halada e Salomé Nadine. No entanto, existe uma parte oculta deste trabalho que até hoje permanece completamente nebulosa para o grande público. Esta parte oculta é a relação da dupla Raul Seixas e Paulo Coelho com Ordens Iniciáticas às quais eles pertenciam e vinculavam a direção do movimento.

Mesmo antes de se conhecerem, Raul já havia fundado a “Sociedade da Grã-Ordem Kavernista” e Paulo Coelho era um Probacionista da “Sociedade Secreta da Besta do Apocalipse” (4). O certo é que Raul também entrou para a Turma da Besta. A partir daí Marcelo Motta – que era o Chefe Geral da Ordem no Brasil – passou a compor músicas junto com eles (como “A Maça”, “Tente Outra Vêz” e outras). Toda a documentação secreta deste período está em poder da “Sociedade Novo Aeon”, cuja sede fica hoje no mesmo lugar onde seria construída naquela época a “Cidade das Estrelas”O famoso projeto que em 1974 foi confundido pelo DOPS como um movimento “subversivo”.

4) Sociedade Secreta da Besta do Apocalipse – este é apenas um nome fantasioso e impressionista que Paulo Coelho inventou para “dar um clima” nas histórias de Magia Negra que ele passou a divulgar a partir de 1992. Na verdade a Ordem se chamava O.T.O.ou “Ordo Templi Orientis” e dentro dela Paulo Coelho era conhecido pelo nome de “Frater Lúcifer”. Segundo seu instrutor Euclydes, naquela época Lúcifer, paradoxalmente, não era um aluno muito brilhante … Em agosto de 1992, ao lançar seu livro “As Valkirias”, o próprio Paulo descreveu a terrível noite de 25 de maio de 1974, data em que ele (Lúcifer) recebeu a visita do Diabo dentro de seu próprio apartamento em Copacabana ! Lendo o relato, fica muito claro que o discípulo não estava tão preparado quanto supu-nha, para lidar com “Vossa Malignidade” * E dois dias depois ele ainda foi sequestrado pela Polícia Secreta do GovernoMilitar… Paulo Coelho só viria a se reequilibrar realmente 11 anos depois (1985), no jesuítico Reino Mundial dos Cordeiros, ou Ordem de Ram).

(5) Raul Seixas permaneceu fiel às propostas da Sociedade Alternativa até o último momento de sua vida.

r8Com a ajuda do capeta ou não, o certo é que o trabalho de Raul Seixas explodiu a nível nacional em 1974, com o LP “Gita” (na trilha do sucesso de “Ouro de Tolo”, seguido do LP “Krig-Ha Bandolo”, ambos do ano anterior).  

As multidões nos shows chegavam a girar na casa das 50.000 pessoas e havia no ar um cheiro de incenso, sexo e paganismo.

Um paganismo novo, jovem e de uma qualidade muito mais atraente do que as velhas religiões de origem africana que até então norteavam a vanguarda negra-índia-portuguesa da cultura nacional. Ninguém percebia também com o fato daquela ser a manhã de quarta feira de cinzas do Movimento Hippie…

Mesmo tendo se afastado da O. T. O. de Marcelo Motta (Frater Parzival) em 1976, seu consultor e orientador de Magia (Magick continuou sendo José Roberto Abrahão, Chefe no Brasil da O. T. O. ( Ordo Templi Orientis Antigua, movimento de origem haitiana e dissidente da O. T. O., fundado por Lucien-François Jean Maine em 1921 e cujo atual dirigente mundial é Cortney Willis). José Roberto com-pôs com Raul  “A Pedra do Gênese” em 1988. Este foi o penúltimo LP do cantor, lançado um ano antes de sua morte. A obra de Raul Seixas é hoje respeitada e estudada por todas as ordens iniciáticas ligadas à Lei de Thélema.

Raul-Seixas-338x440Raul Seixas era um Místico ?…

Esta é uma pergunta bastante curiosa e eu creio que tanto uma resposta afirmativa quanto negativa podem ser muito bem definidas com muitos argumentos válidos e baseados em sua vida e obra. Por isso eu gostaria de colocar a minha posição, mas ressalvando que respeito muito todas as opiniões em contrário.

Para mim Raul Seixas nunca foi um místico, apesar de existir uma parte mística profundamente revolucionária em sua obra. Na verdade, essa parte mística representa apenas cerca de 10% ( dez por cento ) de suas músicas e entre elas eu incluiria “Que Luz é Essa?”, “Ê meu Pai”, “NUIT”, “Ave Maria da Rua”, “As Profecias”, “Gita”, “Love is Magick” (6) e poucas outras. No entanto, estas poucas músicas trazem um conteúdo completamente novo em tudo o que se conhecia até então em matéria de misticismo pois ela contém a “Lei de Thélema”, da qual falaremos adiante. Assim como um católico vai à missa e não é um sacerdote, Raul Seixas falou também de misticismo, mas não era um “místico”. Ao invés de um místico creio que ele era antes de tudo um icnoclasta, irreverente, anarquista e agnóstico (todas essas “qualidades bastante incompatíveis com o padrão dos místicos que podemos encontrar militando na face do planeta). No entanto, o pouco que ele falou sobre o assunto causou um burburinho tremendo para o resto dos tempos!

(6) Observe-se que Magia em inglês se escreve “Magic” e tido ‘Magick” como Raul colocou o titulo desta música. E nós também utilizamos esta grafia ao longo deste trabalho. Esta grafia foi criada pelo mago inglês Aleister Crowley.

r96Vejamos outros argumentos: Raul Seixos lançou 16 discos com músicas próprias, ao longo de sua carreira. Nestes discos poderemos encontrar 159 músicas (existe ainda, unia quantidade quase equivalente a, esta, que ele compôs para outros cantores, principalmente na época da, “Jovem Guarda”). Como ele teve 21 parceiros (7), a grande maioria destas músicas foi feita em parceira com alguém. Assinados apenas por ele, poderemos encontrar 41 músicas. E nisto existe um fato muito curioso: Das 41 músicas que Raul Seixas compôs sozinho não existe nenhuma de fundo místico ! Qualquer pessoa pode consultar a sua obra e verificar isto (é bom acrescentar que eu chamo músicas como “Metamorfose Ambulante” e “Ouro de Tolo” de filosóficas)

(7) Observe-se que apesar de estarmos tentando mostrar que Raul Seixas não era um místico, sua obra, foi lançada em 22 anos (1968 a 1989) e ele teve 21 parceiros (que somados com ele também dá, o número 22). Ora, 22 são os Arcanos Maiores do Tarot, nos caminhos da Árvore da vida …E como nós vimos  no início deste trabalho, ele havia dito no “Trem das sete” – “Who’s gonna laugh, goíng my way.” Especula-ções à parte, podemos afirmar com certeza, que ele era um Romântico…

(vide meu trabalho sobre isto no livro Raul Seixas – “O Trem das sete” – Ed. Nova Sampa 1995). 
 

ac1Cuidado! Aleister Crowley vem ai! ! ! . . .

Magick foi a palavra escolhida por Aliester Crowley, para dar nome ao seu trabalho. Crowley sabia que o que ele estava propondo era um trabalho completamente revolucionário em termos de Magia e ele não queria que isso fosse confundido com o que existia sobre o assunto até então no planeta. Magick é a obra mágica de Aleister Crowley, que influenciou tanto atores como Robert Heinlei e Fernando Pessoa, como os Beatles, Tiniothy Leary, Ozzy Osbourne e no Brasil – para simplificar – Raul Seixas e a Sociedade Alternativa.

Em maio de 1974 a edição de uma importante revista especializada em assuntos esotéricos publicou no Brasil um artigo que dizia: Em março de 1904, um ho-mem chamado Aleister Crowley trazia ao mundo um livro de algu-mas dezenas de páginas, chamado “O Livro da Lei” . Quando o Li-vro da Lei foi publicado, todo mundo riu. E o livro foi esquecido.  Há três anos uma editora inglesa aventurou-se a lançar uma nova edição. Em dezembro do ano pas-sado, tinha vendido 4 milhões de exemplares. E ninguém estava rindo mais”. Inclusive o articulista do artigo.

ac2O ano de 1875 foi de grande importância para, o esoterismo no planeta, com a, morte de Eliphas Levi, a fundação da Sociedade Teosófica e a primeira publicação de “Isis Revelada” por Helena Blavatsky, o nascimento de Carl G.Jung e Albert Schweitzer.

Também neste ano surgiram as grandes Ordens Ocultas que nos legaram tudo o que hoje entendemos como Tradição, esoterísino, etc. Neste ano também nasceu na Inglaterra Edward Alexander Crowley (1875-1947), mais conhecido como Aleister Crowley. O futuro comprovaria que o nascimento de Crowley – o maior Mago do Sec. XX – foi um dos mais ímportantes eventos da, história do ocultismo mundial.

ac5Por volta de 1896, Crowley iniciou a leitura de alguns livros sobre magia e misticismo (8).

(8) Principalmente “The Book of Black Magic and of Pacts “de Arthur Edward Waite (1867-1940) e ‘Der Wolke vor dem Heillgthuine” (A nuvem sobre o santuário), de Karl von Eckhartshausen ( 1752-1803 ). Raul Seixas também estudou estas obras (Uma outra do mesmo nível – “A Magia Sagrada de Abrainelin” ele segura na capa do LP “A pedra do Gênese “.

Em 18 de novembro de 1898 fez sua, primeira iniciação na “The Hermetic Order of the Golden Dawn” (Ordem Hermética da Aurora Dourada), uma das mais influentes Ordens iniciáticas do final do século passado. Ao seu corpo de iniciados pertencia a nata da intelectualidade inglesa, e européia. (nomes corno Willian Butler Yeats, Gustav Meyrink, Florence Farr, A.E.Walte, Sax Homer, Bram Stocker (9), Arthur Machen e muitos outros ).

(9) Autor de “Drácula”.

Uma excelente explanação sobre a Golden Dawn é dada por Israel Regardie, em seu memorável “The Complete Golden Dawn System of Magic” Crowley teve carreira meteórica na G.D.

Depois de 8 anos de aventuras pesquisas e turbulentas viagens, durante uma série de invocações no Cairo (Egito), um ser identificando-se como Aiwass transmite a Crowley nos dias 08, 09 e 10 de abril de 1904 o Lider Al Vel Legis, que passaria a ser mundialinente conhecido como o Livro de Lei.Este livro, entre outras coisas, serviu de base ideológica para a fundação da Sociedade Alternativa no Brasil, em 1974 (10).

(10) Pessoas interessadas numa discrição mais detalhada do ocorrido com Crowley neste período, deverão consultar “The Equinox of the Gods”, do próprio Crowley, ou fazer contato com a revista Safira Estrelada (Cx.Postal 37.836. CER-22.642-970 RJ).Maiores detalhes da relação entre Crowley e Raul Seixas estão no nosso livro (Sylvio Passos e eu) “Raul Seixas – Uma Antologia” Ed. Martin Claret SP – 1992, pag. 63 a 74.

A idéia básica do Livro da Lei de Crowley, que é desenvolvida e experimentada tanto pelas Ordens Iniciáticas ligadas ao Novo Aéon quanto pelas pessoas ligadas ao trabalho da Sociedade Alternativa no Brasil, diz simplesmente o seguinte:

ac3Faze o que tu queres, há de ser tudo da Lei.(11)

(11) Este “querer” (de ‘fazer o que tu queres’) é a Vontade de cada um. Vontade esta que é a força da própria Vida. Esta Vontade em gre-go se chama Thélema e por isso se diz que o “Livro da Lei” contém a Lei de Thélema” * Isto é um assun-to muito sério e a força desta pro-posta é tão grande que o seu divulgador ( Crowley ) sofreu perseguições imensas, principalmente pelas correntes iniciáticas liga-das ao Velho Aeon. Ele chegou a ser chamado de “O pior tomem do mundo” e até hoje este estigma é utilizado pelas pessoas conserva-doras e hostis à tudo que ameaça suas velhas estruturas (como a Igreja, por exemplo), para afastar seus adeptos dos “Perigos”de sua obra.

Raul utilizou literalmente esta frase na música “Sociedade Alternativa” (1974) e copiou textos do mesmo livro na música “A Lei” (de 1988). Portanto, não existe Sociedade Alternativa sem o Livro da Lei de Aleister Crowley. Qualquer pessoa interessada em aprofundar-se na proposta ideológica da Sociedade Alternativa, tem necessariamente que pesquisar a obra de Crowley. Sem medo e com espírito aberto.

Não é preciso se filiar a nenhuma ordem iniciática e nem se transformar num “místico” ou num “mago”. Infelizmente existe pouca coisa dele publicada em português (12). Todavia, estarmos lutando para diminuir esta dificuldade.

(12) Por outro lado, existem cen-tenas de títulos em inglês. Várias pessoas no Brasil estão trabalhan-do para produzir um trabalho sé-rio que sirva de suporte a quem se interesse pelo assunto. Podemos ci-tar de passagem os excelentes li-vros “Síntese Mágick”(de Arsênio Hypollito Jr. e Zelinda Orlandi Hypólito – Diretores do Imagick, em São Paulo) – Ed.1glu 1994, e “Curso de Magia”(de José Roberto R.Abraão, com prefácio de Rita Lee. Este também publicado pela Ed.1glu 1994, fone 011.813.4307, S.Paulo).

r92A obra de Raul Seixas é um trabalho de magia?

E para responderemos à pergunta do título acima, seria interessan-te nos perguntamos antes o que é Magia. Segundo o próprio Aleister Crowley: Magia é a Ciência e a Arte de provar mudanças de acordo com a Vontade” * Este é um assunto muito vasto, mas para simplificar, podemos dizer que a Magia se divide em Dogmática e Pragmática. Crowley se enquadra no sistema Pragmático e entre os mais brilhantes grupos atuais praticantes deste sistema está o “Círculo do Caos” ou L. 0. T. (Ruminantes of  Thanateros), fundado por Peter James Carrol. É preciso frisar ainda que Magia funciona (e sucesso é a sua proposta!)

Ora se Magia é a Arte de provocar mudanças de acordo com a Vontade e Raul gerou e direcionou toda a parte mística  do seu trabalho ligado a grupos de Magos e de acordo com sua própria Vontade,  é inegável que podemos considerar sua obra, como sendo um trabalho de Magia. Principalmente levando-se em conta, que ela, continua tendo sucesso contínuo na  área do pensamento mágico até hoje!

r94O rock é pagão ? 

E nem é preciso tanto esforço acadêmico em torno da obra do rockeiro Raul Seixas, se observa-mos que toda festa de rock tem os principais elementos dos rituais sabáticos e antiquíssinias festas pagãs. Mesmo na parte musical. o Rock nasceu do Blues e outros ritmos negros americanos, que em ultima estância vieram da África selvagem e pagã. O Rock é sempre um canto de saudade e retorno ao paganisino.

Mas será que poderemos considerar a obra de Raul Seixas como sendo um trabalho de Magia Negra ?  Esta pergunta também é muito interessante e aqui também eu creio que tanto uma resposta afirmativa quanto negativa poderão encontrar em sua obra muitos argumentos para suportá-los. Alguns, por sinal, já foram aqui citados, como os argumentos afirmativos do grupo formado pelo convertido Paulo Coelho junto com os furiosos e eruditos pastores protestantes.

Estou certo de que ninguém precisa se procurar em “provar” que a obra de Raul Seixas não é “Magia Negra”, apesar de existirem pessoas divulgando esta injustiça e muitas delas acreditando nisso. Eu só espero que aquelas que são mais prudentes e criteriosas observem, questionem e pensem. Pois realmente muitas coisas que estão acontecendo a todo instante modificam a realidade e são muito perigosas para quem não tem preparo, educação, treinamento e desenvolvimento interior. E não há como evitá-las ou ignorá-las como se elas só acontecessem com outros, pois como dizia o próprio Raul Seixos : “Se você nunca esteve dentro da Sociedade Alternativa, a Sociedade Alternativa sempre esteve dentro de você! “

filipeta

clan