Batalhas Espirituais

1-Mjb0TXRfz9d-dYP4tYz0IA

As grandes batalhas do mundo estão mais ou menos documentadas porem as batalhas espirituais estão encobertas por um manto de silêncio. O que a grande maioria não sabe é que o campo de batalha das lutas espirituais é o coração humano.

Ninguém chega a ser um iniciado sem  viver no seu íntimo terríveis batalhas. É preciso superar seus medos, receios, limites, travas, tristezas e inseguranças. É preciso encarar sua sombra, olhar  nos olhos dela e dançar a beira do abismo. Ninguém é iniciado se não superar a dor, o medo, a solidão e a própria morte!

O risco é enorme, o perigo presente e verdadeiro e o que se joga ali nada mais é que a própria alma.

As pessoas parecem sumir do caminho, mesmo as mais próximas. O iniciado vive intensamente a solidão e muros grossos de silencio o rodeiam. Uma ilha  de solidão cercada de gente por todos os lados. O iniciado anda, fala, trabalha e vaga pelas ruas como sonâmbulo, seus olhos parecem perdidos num horizonte longínquo. Tentar explicar o que se passa na vida do iniciado é quase impossível pois ele não encontra maneiras de se expressar.

Somente quando ele superou a primeira parte de sua iniciação ele começa a juntar as peças do quebra-cabeças . Seus velhos conhecimentos vão emergindo de forma paulatina e seus poderes são retomados. Ele volta no exato grau em que estava nem mais nem menos mas o processo inteiro pode levar até 9 anos. Por que tanto tempo? Para evitar um desequilíbrio mental, físico ou espiritual. É preciso que os átomos sejam preparados. Mas a grande preparação é emocional e intelectual.

É preciso que ele se acostume ao seu conhecimento e saiba manter sua serenidade emocional. Um iniciado pode ter visões e percepções que destoam do bom senso, evitar certos lugares e pessoas e ter atitudes estranhas. Se assim procede é por ser capaz de ver sutilezas que poucos veem. Se parecem frios e indiferentes é por que buscam preservar suas emoções de variações extremas. Eles sabem que sua ira pode causar estragos terríveis e evitam-na a qualquer custo. A alegria extrema também pode desequilibrar e então ele evita a euforia.
A responsabilidade de um iniciado é enorme e ele sabe disso. É como um adulto numa sala cheia de crianças. Sempre parece muito velho e experiente não importa sua idade.

Ele vive sonhos lúcidos, visões estranhas, sons incríveis e percebe as dimensões acima e abaixo. Recebe a orientação de seu mestre interior e segue mesmo quando não entende ou concorda. Se contraria essa orientação normalmente comete erros.

Esse é o iniciado, alguém que brincou numa corda bamba estendida sobre o abismo e sobreviveu para contar a história.

Régis Caanabarro

                                                        10/08/2009     23h