MANDALAS

mand 1Há alguns anos, o fato de eu desco­nhecer o significado de uma palavra (Mandala) levou-me a pesquisá-la.

Mandala é uma palavra sânscrita e significa círculo.

Caracterizadas por um centro, simetria e pontos cardeais, as mandalas as são imagens circulares desenha­das, pintadas, modeladas, ou dançadas e, eventualmente, sonhadas.

A mandala mais simples consiste em um círculo com um pon­to no centro. Para os egípcios, isto simboli­zava o Sol vivificante e o universo.

mosaico-bizantino-cruz-bizantina-r029-cru0117A maioria dos desenhos e das pinturas se caracteriza pelo círculo com uma cruz. Também se utili­zam círculos inscritos em círculos, triângulos e quadrados. Belas cores são usadas harmoniosamente.

Desenhos de mandalas têm existido em todas as regiões e entre todos os povos, des­de tempos imemoriais.

A mandala é um símbolo universal e essencial de integração, harmonia e transformação.

A integração de devoção, conhecimento e beleza, é um as­pecto importante da mandala, que lhe per­mite transmitir um ensinamento às pessoas re­ceptivas.

man 33O princípio da mandala está situado em seu centro, de onde emana a energia criadora de formas.

O centro esotérico é sempre eter­no e a energia se mantém por transformação.

O centro é supremo; ocupa a posição mais interior da figura concêntrica (que se irradia para fora).

A Lei do Centro é um princípio básico da natureza. O centro é uma fonte de poder e energia, sabedoria e vida, continua­mente irradiando sua energia e, além disso, continuamente se renovando!

1aaf3945000976e543aa1b91754916e6--colored-mandala-tattoo-mandala-tattoo-colorfulA Lei do Centro é uma constante nas mandalas. O centro é o começo da mandala, como ori­gem, princípio de todas as formas e todos os processos.

Tudo tem um centro; toda vida, todas as diversidades emanam de um centro. Qual­quer que seja o caminho seguido, ele sempre leva de volta ao eterno centro. O centro do ser de cada homem é o mesmo centro da mandala.

Há, verdadeiramente, um único centro, de que toda a vida recebe sua energia (qualquer que seja a variedade de manifesta­ções exteriores).

mand 41Observam-se mandalas por toda parte, na natureza: na célula, no olho, no fungo da Penicilina, na cristalografia — flocos de neve, gelo, cristais minerais — no corte de uma ár­vore ou de um galho, na teia da aranha, em padrões como o do retículo cristalino do tungstênio e o padrão de difração de raios X do berílio, no corpo humano, e no universo.

Muitas coisas feitas pelo homem represen­tam mandalas. Por todo o mundo, estruturas sagradas têm este principio em comum, a exemplo de pirâmides, templos, mesquitas, pagodes, kivas e stupas.

houseshaw-smAs tendas dos índios norte-americanos são circulares e, numa al­deia, estão dispostas em círculo.

Outros bons exemplos são as pinturas indígenas com areia, mapas astrológicos, e as janelas em for­ma de rosa, com vidro colorido, das catedrais góticas.

Os ciclos de toda vida são reunidos em padrões concêntricos. O homem pode ser considerado como o microcosmo, com o flu­xo de energia passando pela “mente” ineren­te a cada centro psíquico.

Agora, você pode realmente começar a pensar neste assunto; basta que dê rédeas sol­tas ao seu subconsciente.

mand 5Desenhe mandalas! Represente seu Eu, a história de sua vida, usando simbolismo, cores, círculos concên­tricos (representando estágios de desenvol­vimento da consciência). Pense nas inúmeras possibilidades! A mandala é infinita!

Permita-me contar-lhe um sonho que tive. Ouvi uma voz masculina exclamar: “um áto­mo explodiu”. Olhei então para o céu e vi uma bela mandala dourada; sua beleza e seu influxo encheram meu coração de intenso jú­bilo. Quando acordei, desenhei a mandala.

Assim como no interior, é no exterior.

mand 7A Suprema Energia, sempre se irradiando do centro, é refletida na vida criativa, exterior, do homem.

Esse poder se infundirá no ser do homem, tão abundantemente quanto ele o permita.

O indivíduo está concedendo sua permissão, conscientemente, deliberadamente, quando se harmoniza com o centro e roga a essa Luz que inunde o seu ser.

Existem muitos exercícios com o uso da mandala para expandirmos nossa consciência, tanto para o exterior, como para o interior.

mand 6“Medita, em serenidade, e aperce­be-te de que EU SOU DEUS!”

A aventura da mandala conduz a uma nova experiência de júbilo e auto percepção.

A mandala é a lin­guagem universal que unifica os povos numa só fraternidade!

 

por Loretta C. Williams, F.R.C.

Revista: O Rosacruz, agosto, 1978

.

 

 .