O SALTO DO SAPO – A Bruxa, o Sapo e o Príncipe

sp1

“O príncipe desce do seu cavalo pronto para enfrentar a feiticeira que, sem fazer movimento, o mira com seus olhos incandescentes. Ele avança na sua direção decidido, a espada em punho, o cenho franzido. Em um segundo, cristaliza-se o tempo. A feiticeira observa, com a pupila de um gato sob o efeito do sol, a pequena figura de um sapo em seu primeiro salto”.

e_frog_princeEvoé, Bruxas !

when_a_prince_met_a_witch_by_janeeden-d3i8m77O sapo e a bruxa, a rã e a princesa. O príncipe e a feiura, a metamorfose, a beleza. O sapo e a magia. As emoções aquáticas, o sexo. A sorte. Talismã, símbolo de fertilidade, a Mãe da Chuva. Resina erótica. Veneno mortal.

Afinal, qual é a do sapo? Qual é o seu salto no imaginário simbólico? Que relação guarda com o feminino, com a fertilidade?

Figurinha tarimbada nos contos de fada, símbolo ancestral da magia ora sinônimo de nojo e abjeção, esse pequeno animal é, no mínimo, surpreendente.

Na magia, a rã é relacionada à Lua e o sapo ao severo Saturno, assim como a abelha seria uma espécie de antítese da vespa. Não há grimório que em algum momento não inclua o sapo ou a rã em suas receitas mágicas.

Quem não se lembra do terrível feitiço que consiste em colocar o nome de uma pessoa ‘desagradável’ dentro da boca de um sapo e alinhavar sua boca com um fio negro? O veneno é destilado como a secreção irritante que sai da sua pele….dizem que um dos efeitos dessa magia é causar excesso de sudorese na vítima, provavelmente por causa da exudação do sapo.

sp3O famoso magista Papus, cita um feitiço do não menos conhecido mago Cornélio Agrippa em que uma língua de rã d’água posta sobre a cabeça de uma pessoa, a faz falar enquanto está dormindo. O coração da rã, colocado sobre o seio de uma mulher adormecida, faz com que ela revele todos os seus segredos – a rã desata a língua e o coração. Bem … seria melhor não ter revelado esse feitiço, nunca se sabe !! Já desatou a minha língua …

Bruxas e ciganas, não raro, os têm como seus animais domésticos. Dizem até que o sapo PEDE para ser domesticado, impondo a sua presença, dia após dia, na soleira das portas. E um sapo doméstico é uma parafernália de sortilégios para caldeirão nenhum botar defeito: auxiliar na leitura dos destinos, na meteorologia, nas magias de fertilidade.

Em sagas populares o sapo personifica os espíritos maternos protetores da casa. Curioso, não?

sp 4Um relato inquisitorial declara que crianças ciganas brincavam de pastoras … e que seus rebanhos eram formados por sapos. Isso pode ser verdade, afinal nada impede que crianças brinquem com o animal que estiver ao seu alcance, mas não podemos esquecer também o quanto o tribunal do Santo Ofício adulterava as declarações dos perseguidos para que estas correspondessem o mais possível ao que era visto, pelo cristianismo medieval, como a imagem de um sabá diabólico. Ainda mais se tratando de ciganas, sempre estigmatizadas.

Pessoalmente, acho o bichinho simpático, gosto da sua aparência fria e úmida, sua maneira de ficar imóvel e me deixar surpreender com seus movimentos repentinos. Mas parece que essa não é a opinião vigente.

Para os algonquianos, esquimós e lapões, o sapo indicava a fusão de todos os vícios. Os tiroleses têm a máxima: “invejoso como um sapo”. Ainda no Tirol, sapos são encarnações de pecadores, aqueles que fizeram um voto de peregrinação e não cumpriram. E por esse motivo, despertam a piedade dos cristãos.

downloadMulheres que desejam ser mães no mundo árabe, usam colares de sapos feitos em prata. Charles Leland, o grande estudioso de magia da magia mediterrânea e do povo cigano, dizia possuir um destes; além de um anel também em prata no qual estava gravado um sapo em hematita – a hematita, apesar da sua cor cinza chumbo, é chamada de pedra-do-sangue, devido ao seu alto teor de ferro. Esse anel, que reunia os pendores lunares e sanguíneos foi considerado um poderoso amuleto e se ainda existe, ainda o é – palavra de bruxa !

Na Baviera, onde o sapo representa o útero, existe até uma Virgem Maria-sapo. Como é costume agradecer pedidos atendidos por meio de ex-votos, que são réplicas das partes do corpo que apresentaram problemas e, como seria de “mau gosto” pendurar nas igrejas úteros feitos de cera, as mulheres depositavam pequenos sapos do mesmo material ao redor da estátua da Virgem Maria, em agradecimento.

Ou seja, em países rurais o sapo e a Virgem ainda guardam muito dos seus aspectos ctônicos, da sua ligação com a terra.

Soube, através de uma amiga, que mulheres costumavam recolher seu sangue menstrual em jarros com forma de sapos, mas não ela se não lembrava a procedência deste costume.

magnolia2No cinema, quem não se lembra da chuva de sapos nas cenas finais de Magnólia, unindo o destino dos vários protagonistas do filme? Eles explodem no pára-brisa, lotam as ruas – uma invasão de rãs é prevista no Apocalipse de São João (16, 13). Uma chuva de grandes sapos. O sapo e água, símbolo das emoções. Uma chuva simbólica? Devastando as emoções contidas?

O que é a frase “engolir sapo” senão, trancar uma emoção dentro do peito? E que emoção, trazida por um beijo ou outra demonstração de amor e paixão é capaz de transformar sapos em príncipes?

Ouvi falar, certa vez, de uma espécie de sapo com manchas amarelas nas costas. Vários adolescentes foram presos porque foram pegos lambendo estes sapos. Com a boca na perereca. Sim, é isso mesmo, lambiam sapos. As leis foram severas para os infratores, multa alta ou prisão. Explico: Os sapos tinham propriedades alucinógenas. Suas secreções venenosas foram usadas para provocar alterações psíquicas.

Será que não está aí a explicação para que sapos virem príncipes? Sim, porque sob o efeito de determinadas drogas, até sapo vira príncipe … ou a princesa a se transforma em rã e se esconde em uma bromélia.

sp6Os que gostam de estudar contos de fada sabem que Bruno Bettelheim caracteriza as histórias nas quais um animal é intermediário entre homem e a mulher, como o ciclo de contos do noivo-animal. A Fera ainda irá seduzir a Bela. Que a jovem precisa superar a imagem do pai, ao qual devotaria um amor sublimado, e aceitar o sexo com um homem, seu noivo, ultrapassando a interdição, a ligação “elétrica”, parodiando Electra, e aceitando o teor animalesco, leia-se sexual, desse nova forma de amar. Ei, quem diz isso é Bruno, não sou não, hein? Só usei as minhas palavras.

Para Jung, a rã representaria, entre os animais de sangue frio, uma antecipação do ser humano. Possivelmente a semelhança anatômica entre homens e mulheres, sapos, rãs ou pererecas, saltou ao olhos do psicólogo suíço. E talvez aí se encontre uma pista bastante acertada sobre a mítica transformação do sapo em ser humano, a similaridade formal, a Teoria das Assinaturas.

sp2Bem, os saltos do sapo são ganchos que ativam a curiosidade e imaginação. Eu passaria ainda mais tempo falando deles, mas fica para a próxima coluna; o a magia do sapo no Brasil vai coaxar o ar sua graça, do fundo da Floresta Amazônica, em meio a fumaça de breu !
Eia, Cy e Mãe do Muirakitã!

“A princesa olha, enfim, aquele bicho nojento, úmido, que aprendeu a amar. Sua pupila gelada e pequena cresce, dilata-se, esquenta. E derrete o cristal do tempo. O animal se torna uma pasta amorfa, mistura-se com a terra. E dessa mistura emerge o homem e a surpresa”.

Zoe de Camaris

filipeta

.
reprog amor