Os Poderes Mágickos da Música

m1Os homens, há tempos atribuíram certos poderes à música que foram usados das mais diversas formas, para os fins mais variados e por muitas pessoas:

Orfeu, com seu canto, dominava as feras, rolava as pedras, desviava o curso dos rios e enfrentava, destemido, os perigos mais incríveis. Tirteu comandou um exército rumo a vitória com o som de sua flauta. Nas lendas francas, Houn de Bordeaux fazia dançar todo aquele que ouvisse a sua corneta. As sereias, encantavam os marinheiros gregos com suas vozes sedutoras, conduzindo-os para morte…

m2Os magos e feiticeiros, em geral, eram músicos, ou melhor dizendo, eram cantores. Cantando faziam suas invocações mágicas, seus encantamentos místicos e seus feitiços.

.
Os templários ensinavam, nos seus graus iniciáticos, sete ciências onde, uma delas, era a música e, através dela, transmitiam ao iniciado o sentido da Harmonia interior, para que pudesse compreender a Harmonia do Universo.

m3Os xamãs indígenas praticam suas ações mágicas invocando espíritos, através de um som ritmado e de cantos “encarnatórios”. Para eles, o tambor é o instrumento fundamental para a viagem ao “Mundo Superior” e ao “Mundo Inferior”. Sabem eles que os sons ritmados, monótonos e repetitivos dos tambores e das maracas, inibem mais facilmente o córtex cerebral, que passa a não mais responder aos sons, atingindo um estado de consciência alterado, ocasião em que monta em seu “cavalo tambor” e penetra no misterioso mundo subterrâneo dos espíritos errantes.

m4Na índia são utilizados os mantras, que são recitações de fórmulas místicas que evocam e assimilam forças das quais eles são símbolos.

.Em sua maioria eles contém os som “M” e “N”, que ressoam na região do crânio, mesmo quando sussurrados. O mais antigo dos mantras é o “OM”, ou “AUM”. A vibração sonora que surge quando se pronuncia o “M” (fechando a boca, depois de abri-la para o AU) faz vibrar, por ressonância, a hipófise e a glândula Pineal. 

.
Existe um diálogo famoso, travado entre John Lennon e George Harrison, que transcrevemos abaixo.

m7“Cantar é uma espécie de meditação que se pode praticar mesmo quando a mente está turbulenta. Você pode, inclusive, estar cantando e fazendo outra coisa ao mesmo tempo”.
“A meditação silenciosa depende mais de concentração, mas quando você canta, trata-se de uma ligação direta com Deus.”

“Mesmo quando as pessoas encontram um cantinho sossegado é muito difícil acalmar a mente por muito tempo.”

m6“Sem ter verdadeira consciência do que está acontecendo, as pessoas podem ser despertadas espiritualmente”.
“Alguns não compreendem que estão, mas estão… e uma vez que você compreenda algo, não pode mais fingir que não conhece”.

“Por exemplo, em “My Sweet Lord” tem, num trecho da canção, um coral que canta o estribilho “Aleluia” e depois, muda para “Hare Krisna”. Aleluia é uma expressão de júbilo dos cristãos, já Hare Krisna tem seu lado místico, é mais do que glorificar a Deus, é buscar tornar-se Uno com Ele. Para fazer com que os cristãos não se sintam ofendidos, primeiro ouve-se Aleluia e depois, ao ouvirem Hare Krisna, eles já estão fisgados, batendo os pés, de modo que se deixam levar por uma falsa segurança. Assim pensam: “Ei, eu achava que não devia gostar desse tal de Hare Krisna!…” 

.
eduEdu de Castro, Membro número 606
Esta página foi publicada no Boletim Imagick do ano de 1994 e é uma homenagem ao nosso querido Diretor Musical que tanto deu de si ao Instituto de Pesquisas Psíquicas Imagick.

O nosso companheiro Edú partiu para a luz maior, deixando entre nós, seus amigos, irmãos e “pais postiços”, uma imensa saudade. Restou, para aliviá-la, a lembrança do seu sorriso, o perfume de sua obra, os ecos das suas canções e o amor que é imortal….

O espetáculo continua, estaremos sempre juntos, não há separação… o amor é a ponte….

Nós todos, do Imagick…

filipeta

3musickas