Sem Medo das Consequências

facerrDevemos reconhecer esse inimigo sutil, chamado “medo das consequências”. A menos que estejamos alertas e percebendo sua tirania terrível, ele nos mantém como escravos inconscientes.

Por consequências, refiro-me a tudo que lhe aconteça – íntima ou externamente – como resultado de seu golpe, desferido em busca da liberdade pessoal.

Não tenha medo das consequências de ninguém ou de coisa alguma. Faça o que deve fazer e observe tranquilamente o que sucede. Apresente-se firme diante de reações de outras pessoas, ou de sua própria natureza negativa.

Você rompeu aquela relação porque não quer mais levar esse tipo de vida? Agiu heroicamente.

Recusou-se a transigir consigo mesmo, concordando com alguém, só porque dá valor a essa amizade? Ótimo.

Teve a coragem de olhar dentro de si e passou pelo choque de ver mais negativismo do que desconfiava? Também isso é um ato positivo.

Quaisquer que sejam as consequências, ainda que penosas, deixe que elas lhe ensinem a lição.

Estão tentando mostrar-lhe outro modo de viver, fazendo o possível para livrá-lo da vida monótona.

Aconteça o que acontecer, inicie cada novo dia com espanto, como se fosse o primeiro de sua vida.

Isto deveria ser feito por todos que não querem ter, no futuro, uma repetição do passado.

Vernon Howard,
O poder cósmico do homem

filipeta

depres