O Significado da Iniciação

imageEMEUma das definições mais simples e precisas do que é a iniciação é a seguinte: 
“A iniciação é um ritual simbólico que dá início a um processo mental e espiritual que visa capacitar o candidato a ser um operador consciente e competente de seres, que possuem um nível maior m de consciência para o seu desenvolvimento físico, mental e espiritual.

 

Como o nome indica, a Iniciação é apenas o início de um processo na alma do candidato. Um processo que também ocorre em maior escala na evolução da espécie humana. A humanidade está se movendo lentamente, em fluxos estáveis, embora a maioria cegamente, nas marés de evolução. Os homens e mulheres comuns não têm conhecimento deste processo. 

 

O candidato é o ator principal de um mistério, que passa por ações simbólicas de determinadas experiências psíquicas em sua jornada das trevas à luz. Isto é para lembrar as experiências que a alma tenha passado. A verdadeira iniciação é uma experiência espiritual.

 

É relatado que, nos antigos Mistérios do candidato para a iniciação nas várias fraternidades, ele tinha que agir de acordo com a história da vida do Hierofante original, o “homem divino”, cuja história serviu de base de seu simbolismo e suas cerimônias. Deve ser dito que só conhecemos os Mistérios através de algumas informações de autores gregos e latinos, e também pelas informações fornecidas pelos Padres da Igreja, muitas vezes um pouco suspeitas. No ritual, numa cerimônia, é representada uma vida simbólica de um adepto iluminado, ou seja, a história de um ser cuja consciência se tornou divina, e assim se torna uma celebração mágica. O método de representação retrata um homem que morre, real ou misticamente, e ressuscita com a sabedoria de Deus. Para os egípcios, Osíris era o melhor exemplo de alguém que vence a sua humanidade, um símbolo de regeneração. Quando um oficiante do templo representa o papel da imagem de um deus ou ser divino, se conhece bem os métodos técnicos mágicos, assume a forma desse Deus tão perfeitamente que as emanações magnéticas do Deus nele fluem até  a parte mais íntima de sua alma.
 

 

O som e a cor desempenham um papel importante na operação de transmutar as energias correspondes a um plano menor e mais denso mediante as forças de um plano superior. Sua influência é baseada nos princípios da lei de oitavas de vibração. É uma coisa bem conhecida que muitas pessoas associam certas cores com determinados tons musicais. O som é uma vibração do ar, e o número de vibrações por segundo de cada nota pode ser definido com precisão. A luz é uma vibração do éter, e o número de vibrações por segundo para cada cor também pode ser calculado com precisão. Portanto, não é difícil descobrir uma relação matemática entre as vibrações do ar do som e da vibração de uma cor etérea, que é o que ocorre na mente de algumas pessoas muito sensíveis.
 

 

Nos planos sutis existem diferentes tipos de força, cada qual tem seu próprio ritmo vibratório. Se você puder encontrar o coeficiente deste ritmo, as suas raízes ou fatores primários, enunciando-os em sua devida seqüência evocarão a vibração complementar no corpo sutil adequada, que corresponda ao plano da potência que se quer invocar, tal como uma nota. A música faz a cor correspondente surgir na consciência. Esta é a explicação e a base do emprego nos Rituais dos Nomes Sagrados, palavras de passe e de poder.
 

 

Todas essas influências são usados para construir uma forma mental na mente coletiva do Templo, e nesta forma mental se apresentam as potencias invocadas com os Nomes Sagrados e as Palavras de Poder empregadas nas Cerimônias Rituais, enfocando-se todas estas influências sobre os participantes enquanto estão num estado consciente de exaltação. Esta é a explicação do poder do ritual.
 

 

Nem todos os candidatos estão psicologicamente preparados para receber este tipo de sabedoria ou poder, que para alguns é considerado sagrado. Nas genuínas escolas do mistério, aqueles que procuram a verdade recebem através da iniciação, ou seja, dos dramas rituais onde são ensinados os mistérios. A palavra mistério não tem a mesma conotação nos tempos antigos que, por vezes, tem agora “estranha”, “sobrenatural”, etc. Ele estava se referindo mais a uma gnose ou conhecimento exclusivo que foi revelado para o candidato durante a iniciação. Em grego, o verbo no plural “ta misterio” procede do verbo mya, que significa “cale a boca”, que deu myésis, “iniciação” e, em seguida mystes, o “misto”, iniciado nos mistérios, o que se refere à obrigação de permanecer em silêncio absoluto sobre o mistério. A relação dessas palavras mostra, obviamente, o significado da Iniciação. Por conseguinte, o candidato à Iniciação era o que recebia um conhecimento inspirado que iria fazer uma impressão mental ou emocional em sua consciência, ao mesmo tempo em que aumentava o seu conhecimento.
 

 

O significado da palavra “Iniciar” em português é “entrar, começar.” Um iniciado é aquele que entra em um novo caminho. Não é um seguidor. Quem chama a Moisés, Hermes, Pitágoras, Buda e Jesus (Grandes Iniciados) distorcem o verdadeiro significado de uma boa palavra. Eles eram grandes iniciadores. Ensinaram novos caminhos. Eles foram grandes exemplos para os seus seguidores e não exceções. Um iniciado é um principiante, um novato, um aprendiz.
 

 

Nenhum rito, nenhuma cerimônia, não importa qual seja a sua forma ou a execução, é de fato uma verdadeira iniciação se não realiza o seguinte: 
(a) fazermo-nos introspectivos, ou seja, fazer com que a nossa consciência volte-se para o interior de nós mesmos, 
(b) gerar em nós o desejo de auto-aperfeiçoamento, a auto-transmutação de mudar os modelos de nosso subconsciente, tanto físicos quanto mentais e emocionais.
 

O universo inteiro é uma “dança da vida” cósmica, um ritual que mantém contato com todas as partes de si mesmo através cerimônia do movimento ritualístico. Até a expressão do amor depende do sacramento ritualístico que une duas partes de um todo. Talvez, no início, possa não ser muito perceptível os benefícios deste procedimento repetitivo, já que é necessário superar modelos subconscientes comuns e congelados e esta é uma “ação” de caráter acumulativo, portanto para fazer que se transformem numa parte integral, permanente do ser humano é preciso persistir neles.

reccklan

Clicke na pirâmide para saber mais

barraPRATEADA