A Banana, a Canela e o Cravo

Entre as plantas medicinais, flores, grãos e outros, podemos encontrar várias utilidades para o nosso dia a dia, como chá, cataplasma, compressas, banhos, uma alimentação mais saudável.

Neste post escolhi escrever sobre a BANANA, a CANELA e o CRAVO.

OLYMPUS DIGITAL CAMERABANANA  é o quarto produto alimentar mais produzido no mundo, após arroz, trigo e milho. São cultivadas em 130 países. Originárias do sudeste da Ásia são atualmente cultivadas em praticamente todas as regiões tropicais do planeta.

A Banana é uma fruta tropical, possui uma polpa macia, saborosa e doce, formam-se em cachos. Existem diversas espécies de bananas; no Brasil as mais conhecidas são: nanica, prata, banana-terra, ouro, e a banana maça. Elas nascem verdes e quando estão maduras ficam com as cascas amarelas (maioria) ou vermelhas (minoria). Cada bananeira produz de uma só vez de 5 a 15 pencas. São muito utilizadas na culinária de centenas de países. São consumidas ao natural, fritas, cozidas e assadas. Uma Banana madura e de porte grande (nanica) pesa, em média, 120 gramas. Aproximadamente, 70% deste fruto é composto por água.

Benefícios: A Banana é uma fruta rica em fibras, potássio, vitaminas C e A, promove energia e possui muitos benefícios ao nosso organismo. Possui também grande quantidade de vitaminas B1, B2, B6 e B12, além de magnésio, cálcio, ferro, fósforo e ácido fólico. Contém três tipos de açúcares naturais: sacarose, frutose e glicose. Esses açúcares combinados com a fibra da banana promove grande energia ao corpo. Além de possuir outros benefício que ajuda a prevenir um substancial número de doenças:

Indicações: A banana contém uma substância chamada serotonina, que ajuda a relaxar e manter o bom humor, portanto ajuda pessoas que sofrem de depressão. O ferro a anemia. O potássio baixa a pressão arterial. As fibras ajudam a normalizar o trânsito intestinal, permitindo melhorar os problemas de constipação, acalma o estômago e ajuda na digestão. Comer uma banana entre as refeições combate o cansaço, acalma o sistema nervoso, normalizar o batimento cardíaco, que auxilia a ida do oxigênio para o cérebro e que regula a repartição de água pelo corpo, também diminui as câimbras.O consumo da banana é muito indicado para atletas, estimulando a produção de serotonina no cérebro. As últimas pesquisas indicam que previnem derrame e é bom para a circulação.

Outros: Contém muito ferro, estimulando a produção de hemoglobina no sangue, ajudando nos casos de anemia. Para azia tem efeito antiácido. Nos enjoo matinal, ajuda elevar o nível de açúcar no sague, evitando as náuseas.

Utilização: A Banana nanica, é a mais consumida no Brasil, é muito utilizada em bolos, doces e outros pratos da culinária brasileira. Quando estamos estressados o nosso metabolismo altera-se reduzindo os níveis de potássio. Podemos ajustá-los com a ajuda deste fruto, rico em potássio. Indicada para quem parou de fumar, pois tira os efeitos da falta de nicotina. Não exagerar no consumo dessa fruta. Especialistas indicam o consumo máximo duas bananas por dia. Acrescente a banana em sua alimentação que certamente irá melhorar sua qualidade de vida.

Dicas: Para quem se excede no consumo de álcool, uma das formas de curar a ressaca é fazer uma mistura de banana com leite e mel. A banana acalma o estomago e com a ajuda do mel, eleva o baixo nível de açúcar, enquanto o leite suaviza e hidrata o sistema. Combate a TPM, pois ajudam no humor. Evita o enfarte. Com sua casca, podemos eliminar as verrugas, fazendo um chá acabamos com a rouquidão, pois elimina as inflamações dos músculos da laringe. Ainda acalma a asma. Pode ser utilizada para inflamações ou ferida simples. Para picada de mosquito, experimente esfregar a parte interna da casca. Também é um excelente refrescante para queimaduras (misture meia banana nanica, com uma fatia de polpa da babosa).

Curiosidades: Foram os árabes que lhe deram o nome pelo qual é conhecida em quase todos os idiomas. Eram pequenas se comparadas às de hoje, do tamanho de um dedo e por isso teria usado o nome banan, palavra árabe para “dedo”. Para algumas pessoas, a banana era a fruta proibida do Paraíso. Ela é considerada a árvore dos sábios, por isso seu nome científico é

Musa sapientum. Os árabes transportavam a banana, como um valioso alimento para ser consumido durante as viagens de suas caravanas.

Segundo uma crendice popular, quem enfiar uma faca no tronco da bananeira, em noite de São João, verá a letra inicial do nome do futuro noivo ou noiva escrita na lâmina da faca. Existe outra superstição, segundo a qual, quando a bananeira vai dar o cacho, geme como uma mulher com dores de parto.

canela2CANELA (nome cientifico: Cinnamomum zeylanicum), da família das Lauráceas, é uma árvore originária do Ceilão, conhecida há mais de 2500 anos A.C. pelos chineses (cinnamomum cassia ou canela-da china). Seu nome significa “madeira doce” e toda a planta apresenta odor aromático muito agradável. A parte usada e a casca do caule, comercializada em rama (pau), raspas ou pó. A caneleira é utilizada na culinária, na fabricação de bebidas, medicamentos, perfumes, sabonetes e aromatizantes.

Utilizações: Planta aromática, estimulante da circulação, uma grande fonte de manganês, de fibra, de ferro, e de cálcio. Possui ações tônicas, carminativas, antiespasmódicas, emenagogas e antissépticas. Tem atividade antioxidante extremamente alta, e o óleo da canela tem propriedades antibacterianas e anti-fungos fortes. Também é muito usada no tratamento de gripes, resfriados e dores abdominais. Deve ser usada com cautela e não é recomendada para grávidas, pois provoca a contração de músculos e do útero.
Indicações: Acidez estomacal, afecções catarrais, analgésico, anemia, bronquite, cólica menstrual, diarreia, digestivo, gastroprotetora, febres, gases, hemorragia nasal, infecções intestinais e urinárias, micoses das vias aéreas, pressão baixa, regula a menstruação, resfriados, rins, tosses, vômitos, contra piolhos (chá), reduz os níveis de açúcar no sangue, trata a diabete do tipo dois, abaixa o colesterol e os triglicerídeos.

Culinária: Em pó para polvilhar bolos, biscoitos, frutas assadas ou cozidas, no quentão, nas compotas e caldas. Condimentar carnes, doces, pães, cremes e bebidas quentes.

Aromaterapia: Simbolicamente a canela é uma especiaria ligada ao amor e tem poderes afrodisíacos, por seus poderes estimulantes da sexualidade; sendo empregada como ingrediente para perfumes mágickos e poções para conquistar a pessoa amada. Atrai o sucesso nos negócios, trazendo sorte e determinação para a solução de problemas. Pela destilação prolongada de suas folhas obtém-se um óleo avermelhado que funciona como tônico excelente, quando aplicado com massagens suaves.

Curiosidades: Introduzida no Brasil pelos jesuítas e na Europa pelos navegantes fenícios, foi uma das espécies aromáticas mais importantes da Antiguidade. Na Bíblia, é citada várias vezes como uma substância odorífera preciosa. Os antigos egípcios chegaram a fundar cidades, para servir de entreposto para a sua comercialização. Utilizada como afrodisíaco, conta-se que as rainhas egípcias usavam para seduzir seus escolhidos. No livro dos Provérbios, do Antigo Testamento, é citada como uma das plantas usadas para perfumar o leito nupcial. Até hoje, a indústria de perfumes usa canela em perfumes “quentes” (de notas intensas e amadeiradas).

Considerada símbolo da sabedoria, a canela foi usada na Antiguidade pelos gregos, romanos e hebreus para aromatizar o vinho e com fins religiosos na Índia e na China.

cravoCRAVO DA INDIA (nome cientifico: syzygium aromaticum): é uma planta de porte arbóreo e que atinge até 10 metros de altura. A copa é bem verde, de formato piramidal. As folhas são ovais e de coloração verde brilhante. As flores são brancas e agrupadas em cachos. O fruto é do tipo baga e de formato alongado.

O comércio desses botões secos de flores que não desabrocharam permaneceu sob monopólio de portugueses e holandeses durante séculos, até que um diplomata francês chamado Poivre furtou sementes da planta em 1769 e ampliou sua oferta no mercado.

Utilizações: O cravo é usado em iguarias culinárias, bebidas, como aromático, seu óleo é muito apreciado nas indústrias. Desde a mais remota antiguidade, segundo manuscritos, ele é utilizado do ocidente e do oriente, desde a mesa até a medicina.
Indicações: Excitante e aromático, conhecido por aliviar problemas bucais e facilitar a menstruação. Com propriedades bactericidas, atribuídas a um elemento do seu óleo essencial chamado eugenol, é usado em chás caseiros para combater resfriados e dores de garganta.

É usado também contra cólicas digestivas, gases e diarreia. Usado na elaboração de pomadas para remoção de verrugas. Na forma de pomadas e cremes, alivia a coceira e o inchaço das picadas de inseto. Indicado contra espasmos e dores. Tonifica o estômago e ativa a produção dos sucos gástricos. Alivia dores de dente, estimula as vias respiratórias, impotência, dores de garganta e tosses alérgicas.

Cosmética: Muito usada em loções e vaporização para limpeza da pele do rosto; em produtos de higiene bucal para fazer assepsia e promover um hálito agradável, em banhos de imersão aromáticos e águas perfumadas. Combate à acne. O óleo pode ser usado para trata estrias e é eficaz no tratamento de unhas quebradiças, rachadas ou fracas e de calosidades.

Aromaterapia: Limpeza astral e amor. Estimula o sono e a memória. Dá vigor e coragem, combatendo a exaustão. É excelente para trata de fadiga mental e a falta de concentração. De fragrância quente, picante, excitante e afrodisíaco. Muito usado para a meditação.

Curiosidades: Na Idade Média, o cravo custava quatro vezes mais que a noz-moscada, que já era bem cara! O cravo da índia era utilizado para mascarar o sabor de alimentos estragados e condimentar uma infinidade de receitas, numa época em que as especiarias eram muito valorizadas.

Curiosidades Místicas: Na época da inquisição as bruxas carregavam o cravo consigo para prevenir-se da captura ou enforcamento. Gera energia quando usado como incenso.
filipeta